Soares Chronicles #94: Uma semana no Fantaspoa

A modern-day warrior
Mean, mean stride
Today’s Tom Sawyer
Mean, mean pride

Though his mind is not for rent
Don’t put him down as arrogant
His reserve, a quiet defense
Riding out the day’s events

The river

What you say about his company
Is what you say about society
Catch the mist, catch the myth
Catch the mystery, catch the drift

The world is, the world is
Love and life are deep
Maybe as his skies are wide

Today’s Tom Sawyer
He gets high on you
And the space he invades
He gets by on you

No, his mind is not for rent
To any god or government
Always hopeful, yet discontent
He knows changes aren’t permanent

But change is

What you say about his company
Is what you say about society
Catch the witness, catch the wit
Catch the spirit, catch the spit

The world is, the world is
Love and life are deep
Maybe as his eyes are wide

Exit the warrior
Today’s Tom Sawyer
He gets high on you
And the energy you trade

He gets right on to the friction of the day

RUSH, Tom Sawyer

 

Eu sei que o assunto já passou, mas como eu realmente gosto de filmes de gosto duvidoso eu resolvi dividir com vocês alguns comentários sobre os filmes que eu vi no Fantaspoa. Para facilitar a avaliação eu criei dos critérios: Entretenimento e Perturbação. Ranqueados de 1 a 5. Exemplos:

Entretenimento 1: Qualquer filme chato, não necessariamente ruim, mas chato, tipo… qualquer filme baseado num livro do John Grisham.

Entretenimento 3: Um filme divertido e bacaninha, que no meio do caminho tenta ser mais do que puro entretenimento e falha miseravelmente nos seus questionamentos filosóficos. Tenho certeza que alguém não vai concordar que eu ache que O Clube dos Cinco se encaixa aqui.

Entretenimento 5: Pura diversão e picardia. O Avengers é o exemplo mais recente, inclui também Porkys, Goonies e outros.

Perturbação 1: Filmes que possuem alguns conceitos e/ou cenas perturbadoras, mas nada traumatizante, alguns slashers movies mais clássicos dos anos 80 se encaixam aqui. E Donnie Darko. E o palhaço do It. Mais assustador que ele só o Triste Palhaço do Sapatão.

Perturbação 3: De Volta Para o Futuro 1, um filme que só se torna perturbado depois de uma reflexão sobre ele. Sim, se alguém tiver dúvidas eu posso explicar essa teoria outro dia. Com pelo menos dois chopps.

Perturbação 5: David Cronnenberg e David Lynch tendo um bebê no ácido. E o parteiro é o Taskashi Miike. E trilha sonora do Nine Inch Nails.

Enfim, vamos aos filmes, eles não estão em nenhuma ordem particular:

DO ALÉM (From Beyond, EUA, 1986 – Stuart Gordon)

Clássico sobre cientistas malucos que estimulam a glândula pineal para enxergar seres de outras dimensões, misturando algumas cenas de perversão e sadomasoquismo. Filme do cacete, bem naquele estilo monstros de borracha e stop-motion dos anos 80, tem uma cena no final com duas caveirinhas se debatendo numa gleba que é fantástica. Vale muito a pena, como a maioria dos filmes do Gordon, mas eu ainda acho que na última cena a nossa heroína devia arrancar a cabeça do poodle à dentadas.

Entretenimento: 4/5 – Perturbação: 2/5

BONECOS DA MORTE (Puppetmaster, EUA, 1989 – David Schmoeller)

Baita filme, um mago moderno descobre o segredo para dar vida aos de bonecos de Toulon (um artesão do início do Século XX que descobriu uma antiga magia egípcia para dar vida a bonecos). Esse mago se suicida, e seus antigos amigos são reunidos para investigar a causa misteriosa de sua morte. Tem uma reviravolta meio óbvia no final, mas a animação dos bonecos e fora de série, faz a gente ter vontade de queimar todas as telas verdes da atualidade. Ah, claro, os amigos são atacados violenta e cruelmente pelos bonecos.

Entretenimento: 4/5 – Perturbação: 3/5

CATACUMBAS (Catacombs, EUA/Itália, 1988 – David Schmoeller)

Um filme bem mais fraco que os outros, uma professora americana vai fazer uma pesquisa num monastério (eu acho que espanhol, mas pode ser de qualquer outro lugar), porém, nesse monastério há um antigo espírito do mal preso nas catacumbas. Como é um filme do Schmoeller tem bonecos assassinos, e o boneco assassino não tem efeitos tão tris, mas o personagem do boneco é bastante perturbador.

Entretenimento: 2/5 – Perturbação: 2/5

CELL COUNT (Cell Count, EUA, 2012 – Todd E Freeman)

A esposa do cara está morrendo de uma doença terminal, então ele e ela são inscritos num programa de testes para a cura da doença, numa instalação secreta junto com outras pessoas, dois assassinos e um cachorro. Não tem como dar errado. Eu curti bastante, apesar de que o filme deixou muitas e muitas perguntas sem respostas, mas deve ter o Cell Count 2, até porque tem um baita cliffhanger no final. Ah, e um dos melhores diálogos do cinema moderno, e é spoiler:

“O que aconteceu?”

“Meu cachorro explodiu.”

“A cura não está pronta para uso em animais, vamos anotar isso no caderninho.”

E alem disso,  tem um dos irmãos Baldwins. O que realmente não ajuda muito, mas achei que valia chamar a atenção para esse fato.

Entretenimento: 5/5 – Perturbação: 3/5

A ESTRADA (The Road, Filipinas, 2011 – Yam Laranas)

O melhor filme dos que eu vi, baita filme de terror com clima pra lá de sombrio, e uma história que me surpreendeu porque no filme não cai na tentação de ser um slasherzinho sem graça. E tem um alto grau de perturbação nas cenas de morte. Do caralho, baixem, aluguem, vejam, é muito tri. Só a entrada do filme com tomadas da estrada já fizeram eu prometer nunca mais entrar numa estrada de chão no meio da noite.

Entretenimento: 5/5 – Perturbação: 4/5

INVASION OF ALIEN BIKINI (Coréia, 2011 – Young-doo Oh)

Se tu acha que japonês é perturbado é porque tu não viu filmes coreanos ainda. Esse filme conta a singela história de amor entre a Srta Harmônica e o Bigode Amarelo (combatente do crime de Seoul), na verda a Srta Harmônica é uma alienígena que precisa se reproduzir naquela noite para não morrer, então ela precisa do esperma do Bigode Amarelo, que fez um voto de castidade. Os dois primeiros terços do filme são muito engraçados com as tentativas da Srta Harmônica de seduzir o Bigode Amarelo com o intuito de, literalmente, arrancar o esperma dele. Tu ri muito, sério, particularmente durante o hino nacional coreano. Mas, aliás, MAS, no último terço do filme tu te sente culpado por ter rido tanto do nosso herói. O único jeito desse filme ficar mais perturbado era o bigode do herói, que é postiço, ter vida própria e falar com ele durante as cenas. Que eu acho que é uma boa idéia.

Entretenimento: 3/5 – Perturbação: 6/5 (sim 6, vocês leram certo)

KARATE ROBO ZABORGAR (Japão, 2011 – Noboru Iguchi)

Um filme da Sushi Typhoon sempre é garantia de muita pancadaria, afinal eles são os responsáveis por Aliens VS Ninja, um clássico instantâneo. Esse filme é uma espécie de episódio super ultra longo do Jaspion, mas com LSD e Chá de pilha. E robôs gigantes, ciborgues que se reproduzem com humanos e um herói que perde a sua fé e só a reconquista muitos anos depois. Muito tri, mas meio cansativo.

Entretenimento: 3/5 – Perturbação: 2/5

LUTA DE MONSTROS (Monter Brawl, Canadá, 2011 – Jesse T Cook)

Luta livre entre montros. Divertido. Muito divertido, especialmente para quem gosta de luta livre. Não confunda luta livre com UFC, UFC não é legal.

Entretenimento: 5/5 – Perturbação: 1/5

MASCARAS (Masks, Alemanha, 2011 – Andreas Marschall)

Uma guria é convidada a entrar numa escola de teatro reclusa, lá ela descobre que o fundador da escola, nos anos 70, praticava métodos de ensino não-ortodoxos e apos a morte de diversos estudantes, se suicida. Mas tem algo de errado na escola. Algumas cenas realmente perturbadoras, particularmente na parte final, mas um bom filme, me lembrou bastante o Suspiria do Argento, que é um clássico da maldade setentista. Tem uma cena rápida, que uma das gurias da escola se vira e ela tá com uma maquiagem de palhaço que é arrepiante.

Entretenimento: 4/5 – Perturbação: 4/5

ALUCARDOS – Retrato de um vampiro (Alucardos – Retrato de un Vampiro, México, 2011 – Ulises Guzmán)

Um documentário sobre o Juan Lopez Moctezuma, cineasta mexicano que fez um filme clássico dos 70, Alucarda (eu também achei o nome ridículo). Mas o filme é interessante por reconstruir a história de um cineasta e um filme esquecidos pelo grande público, algumas cenas em que um ator encarna o Moctezuma fantasiado de vampiro numa clima de cabaré burlesco e faz alguns discursos, são bem tri. Mas tem muita bichice no meio do filme.

Entretenimento: 2/5 – Perturbação: 2/5

A MEMÓRIA DO MORTO (La Memória Del Muerto – Argentina, 2012 – Valentin Javier Diment)

O cara morre, de maneira misteriosa, e 49 dias depois sua esposa reúne seus principais amigos para um ritual demoníaco para trazê-lo de volta à vida. Claro, que não é tão simples assim, e a matança acontece de forma desenfreada, lá pelo meio do filme tu começa a adivinhar o final, mas bem no finalzinho ele dá uma virada, que não é tão impressionante assim, mas foge do convencional. Altamente recomendável e eu não achei tão perturbador assim, mas tem algumas cenas fortes.

Entretenimento: 3/5 – Perturbação: 3/5

Enfim, esses foram os que eu vi e o que eu achei deles, considerando que eu sou o cara que não gosta de nada eu gostei da maioria dos filmes, e acho o Fantaspoa ducacete porque é uma oportunidade de ver alguns filmes fora do nosso padrão de todos os dias, e claro, alguns podem ser considerados más decisões.

A lot of movies are about life, mine are like a slice of cake.
Alfred Hitchcock

M Soares

soaresontheroad@yahoo.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s